www.cpa10gratis.com

26 de abr de 2009

Quais são os riscos de investir em renda fixa?


Os fundos de investimento de renda fixa alocam os seus recursos em papéis que rendem juros. Os investimentos são divididos em títulos públicos e títulos privados.

Títulos Públicos
Os títulos públicos emitidos pelo tesouro são considerados papéis de baixo risco, uma vez que as chances do tesouro não pagar aos seus credores são remotas, quando isso acontece dizemos que o governo decretou a moratória e o pagamento dos juros por parte do governo ficam suspensos. Isso já aconteceu com o México, Rússia e mais recentemente com a Argentina. O Brasil também passou por isso no final da década de 80 durante o governo de José Sarney, no entanto, hoje investir em títulos do tesouro brasileiro é considerado um investimento de baixo risco pelas agências internacionais de rating, o Brasil tem um selo dado pelas principais agências que o coloca em um status de "grau de investimento".

Prefixados e Pós-Fixados
Apesar da possibilidade do governo brasileiro dar o calote hoje ser considerada improvável, a composição da carteira é muito importante. Os títulos prefixados são os mais arriscados, pois apesar do investidor saber antecipadamente quanto vai ganhar de rendimento, os titulos prefixados ao contrário dos pós-fixados não defendem o investidor de uma inflação elevada. Imagine o fundo que você investiu alocou a maior parte da carteira de investimentos em títulos prefixados que rendem 9% ao ano, e a inflação dispara para patamares de 12% ao ano, nessa situação o rendimento desses papéis ficará abaixo da inflação, o que chamamos de rendimento real negativo, reduzindo o patrimônio do investidor.

Os títulos prefixados também estão sujeitos a redução de valor, pois toda vez que a taxa de juros se eleva, os títulos antigos ficam menos atrativos, perdendo assim valor de mercado. É verdade também o contrário: quando as taxas de juros caem, os títulos prefixados com taxas anteriores (mais altas) se valorizam no mercado.

Os títulos pós-fixados por sua vez são menos arriscados pois possuem um lastro em um outro indicador como por exemplo a inflação medida pelo IPCA, dessa forma quem adquirir papéis desses fundos ganhará o valor da inflação somado a taxa de rentabilidade do título, por exemplo IPCA + 4% ao ano, em uma situação como a descrita no exemplo anterior cuja a inflação foi de 12% ao ano, o título pós-fixado renderia aproximadamente 16% contra os 9% dos títulos pré-fixados. Os títulos prefixados só são vantajosos em situações que a inflação se mantenha sobre controle, ou mesmo caia, mas como é muito difícil prever a inflação futura o ideal é alocar apenas uma pequena parte dos investimentos em títulos prefixados.

Títulos Privados - O verdadeiro risco

Os papéis emitidos por empresas privadas são os de maior risco entre os investimentos de renda fixa, ao contrário dos governos que "envergam mais não quebram" as empresas podem falir, e seus credores perderem todo o seu patrimônio investido nesse tipo de papel. Quando o investidor faz um investimento em um fundo de renda fixa ele quase nunca sabe qual a proporção que o gestor do fundo vai alocar em títulos privados, que como foi dito tem um risco mais elevado. Em geral as empresas pagam juros mais altos do que o governo, nos bons tempos da economia isso leva alguns gestores de fundos que estão em busca de uma rentabilidade mais elevada a investir grande parte do patrimônio dos seus fundos em títulos privados, no entanto, no inícios dos tempos difíceis da economia, com a expectativa do calote das empresas os investidores fogem desses papéis fazendo com que seu valor de mercado caia substancialmente, causando grandes perdas aos fundos de renda fixa que alocaram grande parcela do seu capital nesse tipo de investimento. Quando a crise se agrava, muitas vezes vem a inadimplência por parte das empresas e esses papéis passam a literalmente não valer nada.

Dicas para investir em Renda Fixa:

Procure ler o estatuto do fundo, quanto maior a parcela investida em títulos públicos mais seguro será o fundo.

Procure alocar uma boa parte em títulos pós-fixados para garantir uma boa segurança.

Se for investir em títulos privados procure conhecer as empresas que você está "emprestando" dinheiro.

Cuidado com investimentos em renda fixa muito vantajosos, isso pode ser uma cilada. Lembre-se que não existe almoço de graça.

Para quem investe até R$ 60 mil, os Certificados de Depósito Bancário (CDB) são uma ótima opção de investimento, pois mesmo que o banco venha a falir, esse tipo de investimento tem um "seguro" de até R$ 60 mil.

A grande crise econômica de 2008-2009 ocorreu devido ao não pagamento de juros por parte dos que financiaram sua casa própria, ou seja, ocorreu inicialmente no mercado de renda fixa para depois se propagar para o mercado de ações e derivativos.

Os fundos DI são os mais seguros, pois investem em títulos do tesouro que captam mais rápido as mudanças na economia.

Por fim lembre-se: Renda Fixa tem risco sim! Principalmente para quem não sabe no que está investindo.

Nenhum comentário: