29 de abr. de 2010

Mercado de Capitais e Análise de Investimentos


Prezados Amigos,

Estou lançando uma Pós-Graduação pela Estácio-FIR, e gostaria da ajuda
de vocês na divulgação. A pós, que forma Especialistas em Mercado de
Capitais e Análise de Investimentos, é a única aqui em
Pernambuco com foco no Mercado de Ações e a equipe de professores é o que temos de melhor,
todos escolhidos a dedo por mim, a ementa também é muito especial para
quem trabalha com investimentos. Favor divulgar/repassar Folder
(anexo) aos possíveis
interessados.

Muito Obrigado,

Antônio Amorim

18 de abr. de 2010

Índia tem 100 milhões a mais vivendo abaixo da linha de pobreza

Índia tem 100 milhões a mais vivendo abaixo da linha de pobreza
Por Bappa Majumdar e Abhijit Neogy

NOVA DÉLHI (Reuters) - A Índia tem atualmente mais 100 milhões de indianos vivendo abaixo da linha na pobreza do que em 2004, de acordo com estimativas oficiais anunciadas neste domingo.

O país conta agora com 410 milhões de pessoas vivendo abaixo dessa linha determinada pela ONU --gente que vive com uma renda de 1,25 dólar por dia.

A taxa de pobreza cresceu e atinge 37,2 por cento da população, contra 27,5 por cento de 2004, uma mudança que vai exigir que o governo gaste mais dinheiro com os pobres.

Matéria completa em http://noticias.uol.com.br/ultimas-noticias/reuters/2010/04/18/india-tem-100-milhoes-a-mais-vivendo-abaixo-da-linha-de-pobreza.jhtm

12 de abr. de 2010

Valor médio de imóveis usados em SP cresce 50% no 1º bimestre

O valor médio dos imóveis usados em São Paulo cresceu 50% nos
primeiros dois meses de 2010, ante o mesmo período do ano passado,
aponta levantamento da empresa de administração imobiliária Lello. De
acordo com os dados, o preço das casas e apartamentos vendidos no
primeiro bimestre ficou, em média, em R$ 300 mil, contra R$ 200 mil em
2009.

(Matéria Completa em
http://www1.folha.uol.com.br/folha/dinheiro/ult91u719576.shtml)

Acredito que isso seja conseqüência do aumento da oferta de crédito,
não apenas do setor público (CAIXA), mas também do setor privado,
principalmente da agressividade grandes construtoras paulistas (Rossi,
Cyrella, Gafisa), acredito ainda que esse efeito atingirá o resto do
Brasil (exceto o plano piloto de Brasília e a Zona Sul do Rio de
Janeiro) mais cedo ou mais tarde. Quem tiver imóvel pra comprar, que
compre logo!