www.cpa10gratis.com

28 de abr de 2009

Como investir em Títulos Públicos através do Tesouro Direto?


Tesouro Direto

A emissão de títulos é a forma do governo pegar dinheiro emprestado, ou seja se financiar. O comprador dos títulos paga de imediato pelo título que tem um prazo de vencimento que pode variar de poucos meses até mais de 30 anos e recebe do governo um pagamento referente aos juros semestralmente ou no final vencimento do título dependendo das especificações do título que ele investir.

Quando investimos em um fundo de renda fixa a maior parte ou todo o dinheiro investido vai para títulos do governo. Os fundos de investimento que alocam mais da metade do seu capital em títulos privados precisam ter no nome o aviso: "crédito privado", indicando que o risco de investir naqueles fundo é maior, ou seja, quando o fundo for apenas "renda fixa" a maior parte do dinheiro está sendo investida em títulos públicos.

Investir diretamente em títulos do tesouro, no entanto, pode ser bem mais rentável que investir em fundos de renda fixa, pois conforme já foi dito os bancos cobram uma taxa de administração nos fundos, taxa que pode reduzir drasticamente a rentabilidade como já foi demonstrado.

Para comprar títulos públicos diretamente ao tesouro é necessário se cadastrar em um agente de custódia autorizado(provavelmente seu banco é um agente de custódia autorizado), uma vez cadastrado você vai receber uma senha por e-mail.

De posse da senha basta acessar o site do tesouro direto:
http://www.tesouro.fazenda.gov.br/tesouro_direto

Escolher o Título e Comprar.

Títulos

As características dos títulos públicos são as seguintes:
· LTN - Letras do Tesouro Nacional: títulos com rentabilidade definida (taxa fixa) no momento da compra. Você sabe antes quantos reais vai ganhar. Forma de pagamento: no vencimento;
· LFT - Letras Financeiras do Tesouro: títulos com rentabilidade diária vinculada à taxa de juros básica da economia (taxa média das operações diárias com títulos públicos registrados no sistema SELIC, ou, simplesmente, taxa Selic) Forma de pagamento: no vencimento;
· NTN-C – Notas do Tesouro Nacional – série C: títulos com rentabilidade vinculada à variação do IGP-M, acrescida de juros definidos no momento da compra. Ideal para formar poupança de médio e longo prazo, garantindo seu poder de compra. Forma de Pagamento: semestralmente (juros) e no vencimento (principal);
· NTN-B – Nota do Tesouro Nacional – série B: título com rentabilidade vinculada à variação do IPCA, acrescida de juros definidos no momento da compra. Ideal para formar poupança de médio e longo prazo, garantindo seu poder de compra. Forma de Pagamento: semestralmente (juros) e no vencimento (principal);
· NTN-B Principal – Nota do Tesouro Nacional – série B: título com rentabilidade vinculada à variação do IPCA, acrescida de juros definidos no momento da compra. Não há pagamento de cupom de juros semestral e é ideal para formar poupança de médio e longo prazo, garantindo seu poder de compra. Forma de Pagamento: no vencimento (principal); e
· NTN-F – Nota do Tesouro Nacional – série F: título com rentabilidade prefixada, definida no momento da compra. Forma de Pagamento: semestralmente (juros) e no vencimento (principal).

fonte: http://www.tesouro.fazenda.gov.br/tesouro_direto

Custos

Comprar pelo tesouro direto também envolve custos, os custos são os seguintes:

Taxa de Negociação BM&FBovespa - 0,10% do valor da operação.

Taxa de custódia da BM&FBOVESPA de 0,30% ao ano sobre o valor dos títulos, referente aos serviços de guarda dos títulos e às informações e movimentações dos saldos, que é cobrada semestralmente, no primeiro dia útil de janeiro ou de julho, ou na ocorrência de um evento de custódia (pagamento de juros, venda ou vencimento do título), o que ocorrer primeiro.

Taxa de Administração ou Corretagem: Cobrada pelo agente de custódia, ou seja o seu banco, existe uma tabela no site do tesouro direto mostrando a porcentagem cobrada por cada agente autorizado anualmente por operações com títulos públicos, alguns agentes simplesmente não cobram essa taxa.

Mesmo pagando todas essas taxas é possível para um pequeno investidor conseguir um custo total anual abaixo de 0,5%, taxa essa cobrada pelos fundos de renda fixa apenas para grandes investidores, que investem R$ 500 mil ou mais.

Quanto precisa para investir no tesouro direto?

Segundo informações do site do tesouro direto:a partir de R$ 100,00, no entanto não é tão fácil encontrar títulos nesse valor, hoje R$ 200,00 já é garantido. A quantidade mínima de compra é a fração de 0,2 título, ou seja, 20% do valor de um título. Desta forma, para saber o valor mínimo que pode ser investido basta multiplicar o valor de 1 título por 0,2. Os títulos públicos são ofertados no Tesouro Direto em frações de 2,0 título, isto é, o investidor pode comprar 0,2 título; 0,4 título; 0,6 título; 0,8 título; 1,2 título e assim por diante. No entanto, não é possível comprar, por exemplo, 0,1 título ou 5,7 títulos.

Se que quiser resgatar meu título antes do vencimento?

O governo faz a recompra dos títulos públicos apenas nos dias de quarta-feira, o que reduz a liquidez do ativo (fácil de transformar em dinheiro).

Dicas:

Escolha um banco ou corretora que não cobre taxa de administração.

Diversifique a carteira de títulos.

Opte por alocar mais da metade do capital em títulos pós-fixados, pois esses apresentam maior segurança diante das mudanças econômicas.

Classificação do Investimento: $$$$$

Nenhum comentário: