www.cpa10gratis.com

6 de out de 2011

O que é Taxa de Performance?

Alguns fundos de investimento além da taxa de administração, cobra também do investidor uma taxa com base na rentabilidade do fundo, chamada de taxa de performance.

A taxa de performance refere-se ao desempenho do fundo em relação ao seu referencial, caso ele supere o desempenho do seu Benchmark, uma parte do rendimento será do administrador do fundo (Banco, Corretora ou Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários).

Exemplo: Um fundo de ações cobra uma taxa de performance de 20%, e tem como Benchmark o IBOVESPA. Ao longo de um semestre o IBOVESPA rendeu 12% e o fundo de ações 22%.  O fundo superou o seu benchmark em 10%, o fundo então receberá 20% desse percentual, ou seja, receberá 2% (20% de 10%) como remuneração pela taxa de performance.

A idéia da taxa de performance é remunerar o fundo pelo seu desempenho, diferente da taxa de administração que incide sobre o patrimônio do fundo e assim remunera o administrador nos momentos de ganho e perda do fundo. Lembramos que os fundos que cobram taxa de performance, cobram também as taxas de administração, sendo remunerado então até duas vezes.

A taxa de performance é aplicada apenas em fundos de gestão ativa, aqueles que tem como objetivo superar o seu benchmark.

Nem todo fundo pode cobrar taxa de performance, segundo a classificação da CVM, os fundos de curto prazo, referenciados e os renda fixa de curto prazo não podem cobrar essa taxa de investidores comuns (não qualificados). Podem cobrar taxa de performance os fundos de renda fixa de longo prazo, os fundos cambiais, os fundos da dívida externa e os fundos multimercados (desde que esteja em seu regulamento).

Algumas regrinhas para cobrança da taxa de performance:

- O benchmark deve está de acordo com o objetivo de fundo.
* Fundo de Ações, por exemplo, tem que usar índice de ações como benchmark, não pode usar taxa de câmbio ou taxas de juros para "performar".

- Deve ser cobrada em ciclos mínimos de 6 meses.
* Ou seja, não pode ser cobrada mensalmente, bimestralmente, etc. Somente semestralmente, anualmente ou periodicidades maiores.

- O fundo deve usar 100% do benchmark.
* Usar 80% do benchmark seria fácil né? Imagina um fundo que tem a 80% da taxa DI como benchmark, mesmo ele ficando abaixo, com por exemplo 90% da taxa DI ele iria cobrar a taxa de performance, isso não pode!

- Se ele "perdeu" para o benchmark em períodos anteriores, ele vai ter que devolver a diferença para só então poder cobrar a taxa de performance, esse conceito se chama "Linha D'água". Imagine como seria fácil para um fundo de alto risco ganhar do benchmark em determinado semestre, ele se arriscaria muito, perderia, perderia, quando ganhasse cobraria a taxa de performance, não seria justo? Para cobrar o fundo precisa ter ganhos consistentes.

Por fim uma crítica a taxa de performance: os ganhos e perdas dos investidores e dos administradores/gestores são assimétricos: se o fundo ganhar, o investidor ganha e o administrador/gestor também ganha, se perder, só que perde são os investidores. Isso vai encorajar os administradores/gestores a se arriscar mais, uma vez que no máximo eles vão deixar de ganhar.

3 comentários:

Christian Sisson disse...

Antônio,

A taxa de performance é cobrada sobre a rentabilidade bruta ou liquida (excluidos os impostos)?

Antonio Amorim Neto disse...

Bruta, após a taxa de administração e demais taxas.

Diego Fonseca disse...

Olá, bom artigo! Discordo apenas em certo ponto do último comentário: "Isso vai encorajar os administradores/gestores a se arriscar mais, uma vez que no máximo eles vão deixar de ganhar."

Porque se o business é gestão de recursos e estes, movidos pelo único objetivo de maximização da taxa de performance, ignoram a preservação do capital, a receita do business tende a zero. Assim como tudo na vida, tem gestores bons e ruins (bem ou mal intencionados). Mas, per se, a taxa de performance não leva a essa distinção.

Um abraço e sucesso!